Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

SÓ ME OCORRE PARA ESTE TÍTULO A PALAVRA: CU

Esta é uma história da vida real. Seria uma história como outra qualquer se não fosse eu o protagonista. Estávamos em pleno Verão quando eu me escapava de Lisboa e ia a caminho do Alentejo. A terra dos meus Avós - Ourique para ser mais preciso. A primeira noite naquela terra era sempre mágica. Dormia pela metade o que me valia pelo dobro. Acordava mais cedo do que me lembrava até então. Tão cedo que eu cacarejava primeiro que as galinhas. Aproveitava a hora calma para ver se elas me tinham presenteado com algum ovo. Normalmente, pensava eu, tinha sempre sorte. Era como se todo Universo se unisse e com toda a sua magnitude me quisesse ver feliz. Nada dependia do Cu das galinhas, mas de um poder maior. Tudo era perfeito e eu sentia-me, por completo, pertencente a este mundo. Mas esse Universo não era nada mais do que a minha Avó, a Antónia. O que tinha de inteligência a bondade acompanhava. Era ela que punha os ovos. Sim, aqueles que eu apanhava, na sua maioria, eram postos por ela. Não…
Mensagens recentes

10 MANEIRAS DE GANHAR TEMPO

Daí a 5 minutos ia-me encontrar com uma pessoa idosa. Desejaria que fosse rápida a conversa para me despachar e ir à minha vida. Quando o vejo ao longe a cambalear, barba mal feita, com sérias dificuldades em se locomover, pescoço torto e parecia que vinha perdido. Ele estava no lar já há alguns anos e aquele ar de quem não sabe onde está agoniou-me. Finalmente chegou ao pé de mim e pediu-me a única coisa que eu não lhe queria dar: tempo. Pegou-me no braço e obrigou-me a sentar e foi direito ao assunto como um relâmpago num dia de céu limpo – já tiveste alguém próximo que se suicidou?
Eu disse que sim e não querendo muito desenvolver o tema até porque ainda estava agarrado ao “meu tempo” que me estava a ser roubado. O senhor baixou a cabeça e começou a explicar que já tinha perdido alguns alunos por se terem suicidado e o que mais o angustiava era o facto de não ter a certeza que tinha feito de tudo para que isso não acontecesse. De não ter previsto e mais dramático ainda, nem sequer …

VAMOS ABATER PESSOAS?

Quase 12 mil cães e gatos foram abatidos durante o ano de 2017. Acho interessante esta medida de forma a controlar estes animais vadios ou, e sendo mais justo para com eles, que foram abandonados. Tenho pena que esta medida não possa transitar para outros patamares. Todos sabemos que existem umas quantas pessoas que mereciam falecer, e esperar que lhes aconteça algum acidente ou que apanhem uma doença fulminante não é de todo motivador para todos nós. Por isso termos a hipótese de por fim à vida a quem nos incomoda parece-me genial. Poderíamos começar pelas, e dando a primazia a quem foi o rastilho e principiou este projecto, criaturas que se fartaram de ter os seus animais de estimação e resolveram esta equação de uma forma muito simples: pô-los fora de casa para que aprendessem como a vida é complicada quando temos alguém com consciência e que tem a bondade de nos ensinar que afinal a vida não é só comer, dormir e passear. Estes seriam, e com todo o mérito, os primeiros da lista. Ma…

SOLUÇÕES RADICAIS (DO AMOLADOR AO MOUNTAIN SONG)

Por vezes os sentimentos menos bons e negativos, como a tristeza ou a raiva, podem ser inspiradores e engrenagens para um patamar superior. Normalmente é na fossa, e no meio do esterco, que o mundo nos obriga a sermos criativos. Não é o meu caso até porque nestes momentos a minha personalidade encarcera por completo qualquer capacidade que eu, supostamente, possa ter de criação. Mas voltando à vaca fria, uma das situações que sempre me irritou e me tirava do sério era a gaita do amolador. Esta gaita tinha o efeito de me enervar e quase sempre me obrigava a parar o que eu estava a fazer para ir à janela e, para além de desejar a morte instantânea ao tipo, constatar quase sempre o mesmo: Ninguém afiava o que quer que fosse naquele homem, que ia com uma espécie de roda de bicicleta enquanto assoprava uma gaita que reproduzia uma repugnante melodia que me entrava pelos ouvidos como um trovão. O tempo veio dar-me razão e esta raça foi extinta. Aquela sonoridade era para mim risível e semel…

MUDAR É DIFICIL, NÃO MUDAR É FATAL

Demos um ar renovado a este espaço e olhem que giro que ficou! Fizemos bem. Somos daqueles que achamos que tudo, se assim for possível, merece uma mudança. Para nos olharem da mesma maneira mas de um modo diferente. Tudo aborrece se todos os dias estiver igual. Mudar uma simples coisa do lugar faz com que tudo à volta fique diferente. Já não está da mesma maneira. Aquela jarra antes não estava do lado esquerdo da santinha vermelha feita em cera. Agora está do lado direito e mais escondida para trás. Já não é o elemento principal. Passou a ser uma simples peça cerâmica num papel secundário. É triste – uma vida toda a ser a protagonista. Todos reconheciam a sua imponência mas os rumores já não se deixam agarrar. Já todos sabem, e comentam, com uma tristeza profunda carregada de malicia: «Sabes quem é que caiu em desgraça?», perguntam com ironia. De seguida dão a resposta com um sorriso interior que não conseguem disfarçar «A jarra que estava à frente da santinha vermelha feita em cera!»…

É TERRÍVEL

Então quando lhe colocam a pulseira verde no pulso… se eu não acreditasse tinha apedrejado alguém.  Ronaldo explica, na última gala da FPF, que os Portugueses têm que começar a pensar sempre em grande. É preciso vir o melhor do mundo dizer isto, para finalmente ouvirem aquilo que ando a dizer há mais de uma década. Já estou farto de vos avisar. Essa coisa de andarem a pensar pequenino já cheira a pieguice. A choradeira já faz um barulho ensurdecedor e desagradável. Por isso, meus caros trabalhadores, desempregados, reformados e pobres em geral, já aborrece ver-vos a caminhar pela vida com a cabeça para baixo, ombros descaídos e com a mania de que a vida não é justa. Vamos todos pensar em grande - Engenheiros, Cirurgiões, Mineiros, Electricistas, coxos e impossibilitados - vamos ser os melhores naquilo que fazemos. Acreditar sempre que somos os melhores. Como o Vasco da Gama acreditou e até acho que descobriu qualquer coisa. Como é bom acreditar. Experimentem e verão que se tornará num…

TALVEZ SER UM BOCADINHO MAIS

Não é fácil não ser um merdas. Admitamos isso. A vida dá-nos um caminho onde há curvas desastrosas. Dá-nos escolhas que parecem simples. As escolhas! São elas as culpadas e dão-nos uma chapada de pura consequência: Queres uma casa? Um carro? Com certeza, para isso somentente é preciso trabalhares a vida toda. Ahhh… espera! Queres um filho? Talvez dois para fazer um casalinho? Então a vida toda não te vai chegar.
E não chega. Por isso o grande projecto das nossas vidas somos nós. Não vale a pena descartarmos essa responsabilidade para ninguém e muito menos para os filhos. Viver para os filhos não é aconselhável para ambas as partes. O exemplo dos meus Pais é bem demonstrador do desgosto que poderá advir de por nas mãos dos filhos a nossa existência - O resultado foi catastrófico para dois dos três filhos que tiveram. Defendê-los-emos até que a força nos seja extinta. Até aqui estamos de acordo. Agora a nossa vida é a nossa vida. É única e voraz. Tem que ser deliciosa no mesmo pon…